05 abril 2014

Com hortas em jardins, moradores de cidade suíça compartilham vegetais...

E se, em vez de comprar frutas e verduras na feira, no sacolão ou no mercado, fosse possível simplesmente trocá-las com seus vizinhos? É isso que ocorre nas imediações da Avenida Crozet, em Genebra, na Suíça, onde a maior parte dos jardins das casas foram transformados em hortas comunitárias.
E como dá para perceber na imagem acima, tudo é muito bem organizado. Cada uma das famílias planta um alimento pré-determinado. Quando já é possível colhê-los, eles são trocados por outros entre os vizinhos.
O conceito é antigo e foi criado pelo médico alemão Moritz Schreber, no século 19. No ano de 1864, durante uma campanha para aumentar o número de áreas de lazer para as crianças em alguns bairros de países na Europa, os espaços externos das casas começaram a ganhar outro uso. Foi nessas áreas que as famílias começaram a plantar e cultivar alimentos para seu próprio consumo. Mais tarde a ideia ganhou força e países como Áustria e Suíça também aderiram.
Hoje, em alguns países europeus, a prática do cultivo do próprio alimento é protegida por lei. Em 2003, o governo russo assinou a Lei da Horta Privada, na qual, todo cidadão tem o direito à parcelas de terra para plantio totalmente de graça.

31 março 2014

ATENÇÃO

Por diversos problemas estivemos afastados do blog , agora retornando aos posts . Obrigada as 12.573 pessoas que nôs tem visitado mesmo com o blog tanto tempo inativo.
Valentina Name

21 maio 2013

20 maio 2013

Associações de culturas...

Siga a tabela para fazer associações de culturas uma dica muito útil para quem está começando sua horta.
Tabela fornecida pela :
Plantit Hortas Ecológicas

Publicação do Ibama aponta efeitos dos agrotóxicos sobre as abelhas silvestres no Brasil.



Brasília (04/10/2012) – Os estudos que o Ibama vem realizando sobre o impacto dos agrotóxicos em polinizadores visando a reavaliação de alguns produtos que se encontram registrados no mercado brasileiro, resultaram em uma primeira publicação que reúne informações relevantes sobre o tema.

A publicação consiste em um levantamento bibliográfico que destaca a importância do serviço ambiental de polinização, os principais agentes polinizadores nas diversas regiões do país e os efeitos 
dos agrotóxicos na sobrevivência e manutenção de colonias de abelhas silvestres, abordando os efeitos letais e subletais de produtos agrotóxicos sobre as abelhas silvestres do Brasil.
O trabalho foi desenvolvido pela pesquisadora da Universidade Federal da Bahia, Maria Cecília de Lima 
e Sá de Alencar Rocha, com acompanhamento e supervisão da equipe técnica da Coordenação de 
Controle Ambiental de Substâncias e Produtos Perigosos (CCONP) da diretoria de Qualidade Ambiental 
do Ibama, com apoio do Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento - PNUD.
Entre outros aspectos, a pesquisa identifica a perda da diversidade de polinizadores devido aos principais agentes estressores aos ecossistemas presentes no mundo atual, os principais efeitos 
subletais em abelhas relacionados à exposição aos agrotóxicos, tais como: desvios comportamentais 
que podem comprometer a divisão de trabalho; desorientação das abelhas, dificultando a localização do 
alimento e o retorno à colônia; interferência no aprendizado olfatório e percepção gustativa etc. Além 
desses efeitos,  há ainda aqueles relacionados à reprodução e manutenção das atividades dentro da 
colônia, quais sejam: efeitos reprodutivos nas rainhas e efeitos subletais em larvas o que pode 
comprometer a sobrevivência das abelhas a longo prazo.
Ao final o trabalho é proposta uma metodologia para o acompanhamento dos efeitos tóxicos de ingredientes ativos associados a efeitos adversos sobre abelhas, por meio de um estudo de caso em que são sugeridas espécies e culturas a serem pesquisadas.
O papel fundamental dos polinizadores nas culturas agrícolas e na biodiversidade da flora em geral tem 
direcionado as pesquisas para esse campo do conhecimento. O recente fenômeno de Colapso das 
Colmeias no hemisfério norte e as consequentes perdas do serviço de polinização, tornam ainda mais 
importante e necessária esta área da pesquisa, que atualmente encontra-se em franco 
desenvolvimento. este sentido, o Brasil, pela sua diversidade biológica, ocupa um papel chave no que 
se refere à pesquisa entorno da importância e sobrevivência de polinizadores silvestres, uma vez que a 
maioria das pesquisas internacionais são realizadas com a espécie europeia Apis mellifera.
Apesar de, no Brasil, existir o híbrido africanizado, mais estudado quando em comparação às nossas 
espécies nativas, o conhecimento mais aprofundado sobre as relações ecológicas, fisiologia e 
ecotoxicologia de abelhas nativas ainda é incipiente, por isso, destaca-se a importância do estudo 
agora publicado.

16 maio 2013

Com eclusa, Tietê terá mais 14 km navegáveis


O governo do Estado pretende começar, em junho, a construção de uma eclusa na barragem da Penha, zona leste de São Paulo. Prevista para ser entregue no fim do ano que vem, a obra vai permitir que mais 14 quilômetros do Rio Tietê sejam navegáveis por barcaças. A construção do sistema de diques que permite a passagem de embarcações entre diferentes níveis de água seria mais um passo para a criação do Hidroanel Metropolitano.Quando a obra terminar, será possível navegar por 58 quilômetros do Tietê: entre São Miguel Paulista, na zona leste, e Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo. Além disso, a intervenção na Penha também poderá aumentar a capacidade de retenção de água da chuva em um valor equivalente a 65 piscinões do Pacaembu.A navegação do Tietê faz parte de um projeto maior, que prevê 186 km de hidrovias em torno da Grande São Paulo. Além do principal rio da capital, as embarcações usariam o Rio Pinheiros e as Represas do Guarapiranga, Billings e Taiaçupeba. Para formar um círculo completo, também será preciso construir um canal de 16 km entre Ribeirão Pires e Suzano. A passagem pelo espigão de 30 metros de altura entre as duas cidades exigiria um curso de água artificial com uma solução parecida com a do Canal do Panamá, entre os Oceanos Atlântico e Pacífico. Os barcos atravessariam a montanha por meio de um sistema com várias eclusas.Serviço. A hidrovia deverá ser feita por fases. No início, ela deve ser usada para fazer o desassoreamento do Rio Tietê. Parte do lixo retirado da calha já é transportado para a Lagoa de Carapicuíba por barcaças. A vocação para este tipo de transporte foi definida após estudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), mas o uso do hidroanel para transportar resíduos sólidos deve ser discutido em 2023, quando expiram os contratos de coleta de lixo na capital. A cidade produz 18 toneladas de lixo por dia. Uma segunda etapa do projeto levaria as embarcações para o Rio Pinheiros - entre o Cebolão e o bairro de Pedreira, zona sul da capital. Esta segunda fase incorporaria ao leito dos rios áreas destinadas à triagem e reciclagem do lixo. O estudo do IPT mostrou também que o transporte de resíduos da construção civil não seria vantajoso, pois ele é gerado e descartado de forma pulverizada pela cidade. Também não se mostrou viável carregar o lodo retirado dos esgotos pela Sabesp, que já criou uma rede de dutos para fazer o serviço. 

"Resolvemos focar no transporte de sedimento da dragagem do rio em um primeiro momento para mostrar que é possível ter uma hidrovia em São Paulo. Além disso, é uma demanda constante. Todo ano, há 2 milhões de metros cúbicos de lixo para tirar do Tietê", diz Casemiro Tércio, diretor do Departamento Hidroviário da Secretaria Estadual de Logística e Transportes.O governo estima um investimento de R$ 100 milhões para fazer a eclusa na Penha. Segundo Tércio, esse investimento é comparável ao que se economiza em um ano ao deixar de fazer o transporte do lixo do rio por caminhões. Mesmo assim, ele é cauteloso ao falar do hidroanel. "Se a gente garantir o sucesso dessa fase da hidrovia, podemos começar a pensar na circum-navegação da Região Metropolitana."



Matéria de: BRUNO RIBEIRO, TIAGO DANTAS - O Estado de S.Paulo

13 maio 2013

Sementes umidas...



Umedeça as sementes para que germinem mais depressa. Antes de germinar, as sementes precisam ficar úmidas, como se tivessem recebido as chuvas de primavera. Assim que se tornam inchadas e gordinhas, o pequeno embrião dentro delas começa a crescer.
Sementes como brócolis, repolho e rúcula utilizam eficientemente a umidade e germinam rapidamente sem a necessidade de umedecer antes. Porém, os vegetais de germinação mais lenta como as sementes de salsa e nabo beneficiam-se do umedecimento. Umedeça as sementes com água à temperatura ambiente durante várias horas ou durante a noite toda, porém não se esqueça delas. Drene e plante-as imediatamente.

06 abril 2013

Orquídeas Marília

Quem for da região de Marília vale a pena conferir a exposição de orquídeas que está tendo no Centro Cultural, na Av. Sampaio Vidal com a Rua Paraná.






13 março 2013

Depois da poda

Faz dois meses que o Jambolão e os pés de Ipês foram podados , estão se recuperando bem, e já estão criando uma nova copa, não vejo a hora de formar a copa de novo e voltar a ter minha sombra...

12 março 2013

Mais caixinhas de Jataí


Aurélio anda inspirado, pois depois que recuperou o movimento da mão está em larga escala de fabricação de caixinhas para abelhas hoje já aprontou mais 4 caixinhas só que estás estão especiais, pois foram feitas literalmente no serrote...E não é que estão ficando cada vez mais bonitinhas, ao todo já estamos com 11 caixas todas feitas pelo Aurélio, isso que é habilidade!

Mixirica

O pé de mixirica está tão carregado que seus galhos se curvarão e estão tocando no chão, o problema é que por ele ser tão fechadinho não notamos apareceu uma cachopa de marimbondo enorme e com o peso agora nos galhos mostrou a cachopa, temos que tirar isso do pé , cade coragem?

Açaí



O açaizeiro faz parte da família das palmáceas. Esta palmeira brasileira é uma planta que se desenvolve próxima aos ribeirões, rios, igapó, várzea e nas matas de terra firme, e com menos freqüência, em terrenos mais afastados e locais pantanosos. Ocorre predominantemente na região Norte, principalmente nos estados do Pará, Amapá, Maranhão e Tocantins. Palmeira delgada e alta que pode atingir uma altura de 20 a 25 metros. O açaizeiro apresenta farta perfilhação e alcança, no estado nativo, a 20 palmeiras por "touceira" (das quais pelo menos três em produção). Produz, cada uma, entre 6 e 8 cachos com 2,5 kg cada um, representando de 15 a 20 quilos de frutos por palmeira (em duas safras) e de 12 a 25 toneladas de frutos/ha/ano. Os troncos são lisos, roliços, longos, de cor clara, sem espinhos.


A palmeira do açaí apresenta folhas grandes, compridas e recortadas em tiras, de cor verde-escura, atingindo até 2 metros de comprimento. As folhas são usadas na cobertura das casas.
Cachos de flores miúdas amarelas, surgem predominantemente de setembro a janeiro, podendo aparecer quase o ano todo.

Frutos pequeninos, redondos, roxos, quase pretos agrupados em cachos pendentes. Tem um caroço grande, e muito pouca polpa.
O fruto é colhido subindo-se na palmeira com o auxílio de um trançado de folha amarrado aos pés - a peconha.
Frutificação de outubro a janeiro.

O açaí tem um antioxidante excelente para a saúde. A polpa do açaí contém alto teor energético, e a divulgação de suas propriedades nutritivas possibilitou a abertura de novos mercados de consumo em outras regiões do país, tornando-se uma nova e ecologicamente correta, fonte de renda para as populações nativas. O cultivo e manejo do açaizeiro é ecologicamente adequado para as condições de solo úmido das várzeas do Estuário Amazônico. A palmeira pode ser utilizada para a extração do palmito (a partir da estipe), e produção de frutos, utilizados na fabricação do "vinho do açaí", que é um dos principais alimentos das populações ribeirinhas.
Dos frutos maduros, é extraída a polpa que é consumida na forma de sucos, creme, licor, geléia, mingau, sorvetes e doces.

texto tirado do site: http://www.arara.fr/BBACAI.html




Dicas de uma Chácara: Bem Estar (programa da Rede Globo - Tipos de Mel

Dicas de uma Chácara: Bem Estar (programa da Rede Globo - Tipos de Mel: Está matéria foi ao ar no dia 1/3/2013 sobre os tipos de mel no mercado , muito interessante a matéria vale a pena ver e fala das nossas ami...

Melão de São Caetano

Melão de São Caetano


Momordica charantia


Descrição : Erva da família das cucurbitaceae, tambêm conhecida como erva de São Caetano, fruto de cobra, erva das lavadeira e melãozinho. Trata-se de um cipó herbácio, de cheiro desagradável, caule sulcado e fino, ramos quadrangulares, folhas palmatífidas, e alternas, flores amarelo-pálidas ou brancas em cachos ou corimbos, solitárias masculino e femininas, e fruto abrindo-se em três válvulas espinhosas, cor-de-ouro, tendo, no interior, as sementes cobertas de um arilo vermelho de 1.6 à 3 centímentros de comprimento. O fruto é uma cápsula coberta de protuberâncias moles, de constência carnosa, amarelo-avermelhado quando maduros. As semente são comidas pelas crianças e muito procuradas pelos passarinhos e crianças. Suas folhas clareiam a roupa e tiram machas. Todo o fruto é comestível quando novo.

Origem : Originária da África
Habitat : Encontra-se em áreas tropicais da amazônia, África, Ásia e Caribe. Aparece em quase todo o Brasil em terrenos abandonados.
História : Foi largamente utilizado pela medicina popular e pelas tribos do amazônas. Principalmente pelas lavadeiras para clarear roupas e tirar manchas.
Parte utilizada: Frutos, hastes, folhas e arilo das sementes.
Propriedades : antileucorréico, anticatarral, anti-reumático, bactericida, antivirótico, anticancerígeno, antileucêmico, antitumoral, hipoglecimiante, anti-inflamatório nas colites, purgativo nas constispações com fezes ressecadas, vermífugo e anti-parasitário externo.
Indicações : Inflamações hepáticas, diabetes, cólicas abdominais, problemas de pele, queimaduras com leucorréias purulentas, furúnculos e hemorróidas, triglicerídios, prisão de ventre, tosse, catarro amarelo, febres intermitentes, gripes, faringites como febrífico, edemas inflamatórios como diurético, Eczemas, nódulos, abcessos como resolutivos e antiinflamatórios, oligomenorréias e dismenorréias, como enemagogo e antiespasmódico. Dores articulares em geral como analgésico.
Principios Ativo : momordicina, momordicripina e ácido momórdico, alcalóides, triterpenos, proteínas, curcubitacina B, esteróides, saponinas esterodais, charantina, peptídeos, insulino-sememlhantes, componentes ativos ativos, charantina, charina, criptoxantina, curcubitacina, curcubitano, cicloartenol, diosgenina, ácido gentisico, goyalglicosídeos, gayasaponinas, inibidorera de guanilato-ciclase, gipsoláurico, ácido linoleico, ácido linolenico, momocharasideo, momocharina, momordenol, multitiflorenol, ácido oxálico, pentedecanos, peptídeos, ácido petroselínico, ácido rosmarínico, rubixantina, spinasterol, glicosídeos esterodais, estigmatadióis, estigmasterol, taraxerol, trehalose, inibidores da tripsina, uracil, vacina, v-insulina, verbascosídeos, zeatina-ribosídeo, zeaxantina e zeinoxantina,
Modo de Usar : infusão de folhas secas, para leucorréia e menstruações difíceis, 10 gramas por litro de água. Sumo - feito com folhas e misturado com óleo de amêndoas doces, é usado em queimaduras. decocção para diabétes - 5 gramas de folha fresca picadas em 1/4 de litro de água fria. Aquecer e ferver por 1 minuto. Deixar em repouso por 10 minutos e coar. Tomar 1/2 copo pela manhã e 1/2 copo antes do jantar. infusão - 20 gramas de folhas e flores em 1 litro de água. Tomar 1/2 copo de manhã e 1/2 antes dom jantar. Pomada - raspar e misturar a polpa dos frutos com vaselina, para provocar a supuração nos casos de tumores, furúnculos. - frutos cozidos: vomitivos e antivenéreos. - frutos maduros em cataplasmas: hemostáticos. - suco das folhas: emético, purgante, mordida de serpentes e afecções biliares. - raiz: adstringente. - decocção das folhas: infecções da pele. - infusão das folhas (forte): escabiose, picadas de insetos, malária, pruridos e úlceras malignas - infusão da planta inteira: resfriado - folhas e frutos: gogo das aves - infusão de 10 g de folhas secas por litro de água: leucorréia, menstruações difíceis e cólicas causadas por vermes. - infusão do fruto: hemorróidas. - ungüento: arilo contuso misturado com vaselina: tumores, furúnculos e carbúnculos. - suco: machucar as folhas verdes em óleo de amêndoas doces: queimadura. - suco puro das folhas: sarna.
Contra-indicações/cuidados: gestantes, nutrizes e crianças; as sementes contém compostos tóxicos e teratogênicos, não devendo ser ingeridas em grandes quantidades, pois tambêm é abortivo e inibidor sa síntese proteíca. Tambêm é contra indiciada para pessoas que querem ter filhos. Não administrar em diabéticos, pois tem efeitos hipoglicêmicos e portadores de diarréia crônica, pois aumenta o número de evacuações e provoca a diarréia pastosa. As sementes têm compostos tóxicos e não devem ser ingeridas em grandes quantidades. Causa alterações nos testes laboratoriais do sangue - glicosúria falso-negativo em exames que usem fitas oxididantes-reagentes e reagentes de Benedict; embora não tenha efeitos fobre as leveduras e fungos; seu uso prilongado pode prejudicar a flora bacteriana fisiológica levando ao crescimento de certas leveduras oportunistas, como a cândida.
Efeitos colaterais: causa queda drástica da taxa de glicose sangüínea (hipoglicemia) em poucas horas; pode ter ação teratogênica; in vitro, é um inibidor da síntese protéica; pode causar aborto.
Superdosagem : alguns autores afirmam que meia colherada do sumo do fruto maduro pode matar um bezerro grande em 16 horas, depois de apresentar vômitos e diarréia; constatou-se lesões testiculares em cães e alterações sobre os parâmetros sangüineos em suínos.
Posologia :
Adultos - 3 a 6 ml de tintura divididos em 2 ou 3 doses diárias, diluídos em água, em uso internos - para todas as indiciações; 3 gramas de planta inteira seca ou 6 gramas de planta inteira fresca ( 1 colher de sobremesa para cada xícara de água ) em decocto ou infuso até 3 vezes ao dia, com interevalos menores que 12 horas em uso interno para todas as indicações; Cápsulas : 1000 mg duas vezes ao dia em todas as indicações. Os frutos maduros vaporizados e transformados em polpa podem ser aplicados sobre e pele em emplastos; O suco de 1 ou 2 frutos pode ser usado em todas as queixas gastrointestinais, nas parasitoses, para reduzir o colesterol e triglicerídeos, 2 vezes ao dia.
Crianças - tomar de 1/6 a 1/2 doses de acordo com a idade.
Farmacologia : Um dos princípios ativos demonstrou clinicamente ser capazde inibir a guanilato-ciclase, que parece estar associada ao aparecimento da psoríase e está ligada ao crescimento de células leucêmicas e cancerosas. A momordina demonstrou clinicamenteatividade anticancerosa contra o linfoma de Hodgkins em animais. Outras proteínas - a e B-rnomorcharina, cucurbitacina B - foram testadas por seus prováveis efeitos anticanceroso. Um análogo químico destas proteínas do melão de são caetano foi desenvolvido, patenteado e denominado "MAP-30"; seus criadores relatam que ele é capaz de inibir o crescimento de tumores da próstata. Duas dessas proteínas - a e b momorcharina, também foram descritas como inibidoras do vírus HIV in vitro. Num estudo, as células infectadas com o vírus H IV tratadas com a e B-momorcharina mostraram perda quase total do antígeno do vírus, enquanto as células normais não foram afetadas. Os inventores do ''MAP-30" registraram outra patente que estabelece "útil para tratamento de tumores e infecções por HIV. Outro estudo clínico mostrou que a atividade anliviral do ''MAP·30" também estava relacionada com o vírus do herpes in vitro (Lee -Huang, S. e cols., 1995 e Bourinbaiar, AS. e cols., 1996); Em vários estudos, pelo menos 3 grupos diferentes de princípios ativos encontrados em todas as partes do melão de são caetano demonstraram clinicamente propriedades hipoglicemiantes e outras ações benéficas contra o diabetes mellitus. Estes princípios incluem uma mistura de saponinas esteroidais (charantinas), peptídeos insulino­semelhantes e alcalóides. Efeito hipoglicémico foi maior na fruta, onde estes compostos são mais abundantes; Até agora, perto de 100 estudos in vivo demonstraram o efeito hipoglicemiante deste fruto; Também se demonstrou sua capacidade de aumentar a absorção de glicose , aumentar a liberação de insulina e potencializar seu efeito. Em outro estudo in vivo O fruto e as sementes mostraram redução do colesterol total. Num estudo, os níveis de colesterol e triglicerídios elevados em ratos diabéticos retornaram a níveis normais após 10 semanas de tratamento; Inúmeros estudos in vivo já demonstraram a antividade antitumoral da planta inteira - extrato aquoso bloqueando o crescimento de carcinoma prostático em ratos; extrato aquoso quente inibindo o crescimento de tumores mamários em ratas. Outros estudos in vitro também provaram a atividade anticancerosa e antileucêmica contra várias linhagens celulares, incluindo câncer de fígado, leucemia humana, mela-noma e sarcomas sólidos; Tanto a planta como muitos de seus princípios ativos isolados foram documenta­dos com atividade antiviral in vitro contra os seguintes vírus: Epstein-Barr, herpes e HIVs. Em um estudo in vivo o extrato da folha aumentou a resistência a infecções e teve efeito imunoestimulante em animais e humanos, aumentando a produção de interteron e atividade mortífera natural sobre as células; Em adição, extratos das folhas mostraram atividade antimicrobiana de largo espectro, in vitro contra E. coli, Staphylococcus, Pseudomonas, Salmonella, Strepto-bacillus e Streptococcus. Um extrato da planta inteira mostrou atividade antiprotozoárica contra Entamoeba histolytica. O fruto e seu suco mostraram as mesmas propriedades antibacterianas e num outro estudo o extrato do fruto mostrou atividade contra a Helicobacter pylori; Vários estudos clínicos in vivo demonstraram a toxidade relativamente baixa de todas as partes da planta quando ingeridas oralmente. Entretanto, a toxidade e até a morte de cobaias acontece com o uso intravenoso. Alguns estudos sugerem os extratos do fruto e a folha como seguros na gravidez se ingeridos oralmente. As sementes são abortivas para cobaias e as raízessão estimulantes uterinos em cobaias; O fruto e a folha têm efeito antifertilidade invivo em fêmeas, não afetando a produção de esperma negativamente.
Interação Medicamentosa : Potencializa e clorpropamida, insuiane drogas antidiabéticas e drogas redutoras do coleterol; evitar o uso concomitante; Potencializa o efeito de plantas laxativas e depletoras de potássio.

texto tirado do site: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/melao-de-sao-caetano.html



11 março 2013

O que será?


 Estamos em uma duvida, foi plantado esta árvore uns 15 anos atrás até então nunca deu fruto e não sabemos o que seria, não deixei cortar por achar as folhas muito bonitas , grandes viçosas a surpresa foi este ano que ela deu esses frutinhos ainda estão verdes e não sabemos o que seria , se souberem por favor nôs de uma luz...


10 março 2013

Meliponario Primo - Começando a criação de abelhas Jataí e Canudo.

         Abelhas Jataí





                                                                  

Hoje começamos a colocar as caixinhas das abelhas Jataí e Canudo na chácara, estás da foto acima são a Jataí. Ficou legal debaixo da árvore! Todas as caixas com enxame forte, setembro irão ser divididas ( já temos as caixas para onde irão as novas, que está secando bem a madeira , para não ficar com nenhum cheiro).


Abelha Canudo

A Abelha Canudo colocamos ela separado, da Jataí, está na matinha em frente da casa. Se notarem na foto o canudo delas foi feito no teto ao invés de usarem o furinho de entrada, só quando abrirmos a caixinha é que saberemos o que aconteceu, mais isto só em setembro...
E assim está começando a saga para o Meliponario Primo. Será mais um produto do Dicas de uma Chácara.



05 março 2013

Aipim 2

20 setembro 2012 plantamos as mudas de aipim,hoje com 6 meses,estão muito grandes, espero que setembro teremos aipim...

04 março 2013

Bem Estar (programa da Rede Globo - Tipos de Mel

Está matéria foi ao ar no dia 1/3/2013 sobre os tipos de mel no mercado , muito interessante a matéria vale a pena ver e fala das nossas amiguinhas sem ferrão.
segue o link da pagina da Rede Globo.

Link:http://g1.globo.com/bem-estar/videos/t/edicoes/v/mel-e-fonte-de-energia-e-alivia-a-tosse/2434497/

Ar condicionado alternativo...

Dica do dia...


Muito calor? Acabamos de ver um vídeo no youtube e não resistimos fomos montar um ar condicionado alternativo, Aurélio por ser uma pessoa muito criativa não perdeu tempo e mão a obra com material todo que tinha em casa: 1 garrafa de 5 litro de água vazia, 1 cooler de pc velho, 1 fonte de 12 v(110v para 12v aquela fonte de tomada que tem naquele modem velho que vc não usa mais) e gelo.Não é que sai um arzinho geladinho...Legal!

MELIPONICULTURA- ABELHAS SEM FERRÃO - 2 -

Nossas Jataís estão ficando chique, agora suas casinhas estão mais sofisticadas e cá entre nós será que elas irão subir a escadinha? Mais está ficando muito legal nossa mini cidade das abelhinhas...





















Já estamos com mais três caixinhas novas para fixar no chão. Ainda não foram repassadas, para as caixas novas.